Lazer


Chegada a Boipeba

Originally uploaded by Dalberto Adulis.

Depois do recesso de ferias e muito tempo sem blogar ha muita historia pra contar, muita coisa pra elogiar e mesmo pra reclamar, mas vamos com calma.
Apos 2 meses sofrendo com o apagao aereo conseguimos tirar 15 dias de ferias na Bahia.
Aos poucos vou postando algumas notas. Para inaugurar ai vai uma foto de nossa chegada a Boipeba…

Depois de muito refletir decidi postar o primeiro video com momentos familiares no YouTube.

Neste voces podem ver MC Dalvinha em Toque Toque Pequeno, depois de um Tapa na Pantera!

A minha expectativa par aassistir uma das Paixoes de Bach era muito grande. Ate entao eu ja tivera a oportunidade de assistir em duas ocasioes:

pa– Em 2000, em Salzburg, consegui assistir a Paixao Segundo Sao Joao,. Foi a primeira oportunidade de ver a obra ao vivo. Eu participava de um seminario e ja havia descobero que ocorreria o concerto. Tentei convencer alguns dos 40 participantes a me acompanhar, mas declinaram do convite dizendo que estavam cancados….la fui eu, sozinho, no frio, caminhando 4km ate o local do concerto. Apesar de estar sentado bem atras, e de nao haver um libreto com um texto que pudesse me orientar para compreender o alemao, foi fantastico.

– Em 2002, em Paris, assisti a Paixao Segundo Sao Mateus em uma Igreja Protestante, com minha esposa. Ficamos em um balcao, e com o libreto na mao, pudemos acompanhar musica e drama e aproveitar ao maximo este concerto.

kentDesde entao ouco as Paixoes com regularidade, estando alguns de seus excertos entre meus preferidos, mas nao imaginava que teria a oportunidade de assisti-la aqui no Brasil, tao cedo. Dai vimos o anuncio de que haveria uma Paixao Segundo Sao Mateus pela serie Cultura Artistica, com regencia de Kent Nagano e a Youth Orchestra of the Americas.

Como o concerto estava previsto para as 21hs do domingo, e a obra tem 3 horas de duracao, sem contar intervalos, imaginava que seriam executados apenas excertos, e cheguei a perguntar para as pessoas da bilheteria, mas nao souber ar qualque informacao.

Chegado o dia do concerto fomos à Sala Sao Paulo e descobrimos, com o programa ja em maos, que seria executada na integra, o que me deixou muito feliz. Mas fiz as contas e percebi de cara que haveria alguns problemas, pois com os intervalos, o concerto acabaria proximo à 1 hora da manha!

Nos entramos na plateia, nos sentamos e o concerto se inicia, na hora prevista (!). Logo na abertura ha um grande destaque para a orquetsra e os coros, que sairam-se muito bem. Me surpreendeu positivamente o fato de haver uma legenda eletronica acima do palco, que nos permitia aocmpanhar o texto, mas estranhamos o fato de nao encontrar o coro infantil, que estava previsto para acompanhar os outros 2 coros.

Ao observar o regente com mais atencao notamos que ele as vezes virava de costas (de frente para a plateia) e fazia alguns sinais, regendo o coro infanil, que estava escondido atras dos camarotes. Na posicao em que estavamos nao tinhamos condicoes de ve-los nem de ouvi-los, pois as vozes dos garotos nao chegavam ate nos. Pensei comigo…que pena! Teremos que mudar de lugar para conseguir ve-los.

Depois de pouco 1 hora e meia de concerto saimos para o intervalo (às 22;30) e notamos que algumas pessoas ja estavam indo embora (?!) e muitas outras comentavam estar preocupadas com o adiantar da hora.

Muitos nao tinham nocao de que a peca era tao longa, e nao teriam como ficar pelos compromissos do dia seguinte. Outros, sabiam da duracao da mesma, mas perceberam que nao conseguiriam ficar ate o final, por diferentes motivos, e a maioria, acredito eu, avaliavam que ja haviam ouvido e visto o suficiente de Bach para um domingo a noite.

A consequencia imediata é que apos o intervalo havia quase metade do publico na sala!! O lado positivo eh que pudemos nos mudar para uma frisa/camaroto, de onde poriamos ver e ouvir melhor e, ainda, ver, de longe, o coro dos meninos, escondidos atras de algumas colunas, no topo da sala. Nao entendi realmente porque trouxeram esses garotos de tao longe para nao deixa-los cantar em um lugar mais nobre. Havia espaco no palco ou atras do palco…..Vai saber…

O lado negativo é que com o decorrer do concerto..as pessoas foram, simplesmente, deixando a sala sem cerimonio, fazendo barulho….Nos presenciavamos um concerto de excepcional qualidade, mas lamentavamos muito pelo publico que ia escasseando, ao ponto de, no final do espetaculo, menos de 1/4 das cadeiras do teatro estarem ocupadas.

Que lamentavel!!! Orquestra, Regente e coros mereciam aplausos, muitos aplausos, mas nao havia publico suficiente e os que haviam resistido (à 1 da manha) ja nem conseguiam mais aplaudir o suficiente para retribuir tudo o que tinham presenciado nas 3 horas de musica de Bach.

Por que cargas d´agua nao programaram este concerto paras as 18 ou 19hs? Esta é a pratica usual em qualquer Teatro que apresenta pecas de longa duracao, seja em Paris, Nova York ou Londres. Uma Opera em Paris, por exemplo, costuma iniciar as 20hs, mas Parsifal, que dura 5 horas, comeca as 16Hs!

Mas duro mesmo foi o retorno de la…passar pela Cracolandia a 1 da manha do domingo, mas isso fica para um proximo post….

Artigos relacionados

A Sala Sao Paulo

A ultima edicao da National Geografic traz uma materia especial sobre pracas e jardins de Paris.O conjunto das fotos dispensa a necessidade de comentarios sobre Sao Paulo….onde neste momento vemos

– a construcao de mais um shopping em Pompeia (ao lado do West Plaza e clube do palmeiras)

– a decisao sobre a demolicao do edificio da Escola Batista, em Perdizes, com seus belos jardins que sao um alento verde em Perdizes…

– a continua pratica de remocao de arvores em ruas e avenidas (quase todas foram removidas das calcadas da reboucas) e pelo visto muitas serao cortadas na Sumare

Ai vao algumas das fotos de Amy Toensing que ilustram a materia.

Tulleries

4


O Jardin de Tuileries, do século 17, fica entre o Louvre, o Sena e a Place de la Concorde. Está entre os primeiros jardins da cidade a ser abertos ao público com jardins formais esculturas, fontes, cafés e muitas cadeiras, famosas por seu conforto


2

Noite no Parque

Nas noites de verão os imensos gramados geométricos do Champ de Mars atraem moradores de todos os cantos de Paris, que abrem suas esteiras à luz da Torre Eiffel para noitadas de música, brincadeiras e jantar ao ar livre.

 

A Ponta da Ilha

1


A Square du Vert-Galant
é um oasis na ponta oeste da Île de la Cité, no rio Sena, deve seu nome a Henrique IV, o audaz rei francês do século 16 conhecido como um galante conquistador. Uma refugio fantastico no verao!

 

 

3

Jardim Suspenso
O viaduto de uma ferrovia do século 19 virou a Promenade Plantée, um caminho suspendo de quase 5 quilômetros da Praça da Bastilha ao Bois de Vincennes. Seus jardins permitem caminhadas ee sob as arcadas do viaduto abrigam-se ateliês e galerias de arte.

 

Admirando o Sena

5

Convidativos bancos acolhem os passantes na Pont des Arts, uma ponte para pedestres sob

re o Sena. Daqui pode-se ver um belo por do sol com a vista pelo Louvre, DorsayMuitos locais públicos em Paris são providos de bancos e cadeiras, encorajando o descanso e o convívio.

 

Na Ile de la Cite

8A Place Dauphine é una pequena praça triangular na Île de la Cité. Paris é agraciada com cerca de 483 mil árvores de 120 espécies em seus parques, ruas, praças e jardins, frutos de esforços do século passado que prosseguem até hoje: a cidade planta 2,4 mil novas árvores por ano.



8

Montanhas em Paris
O Parc des Buttes-Chaumont já trvr muitos usos. Durante 300 anos, o parque abrigou as forcas de Montfauçon. Posteriormente, serviu como pedreira de gesso e depois como lixão dos bairros próximos. Na década de 1860, Napoleão III transformou o local em parque.

9Diante da Prefeitura
A Place de l’Hôtel de Ville, que fica na frente da prefeitura de Paris é um espaco publico entre o Sena e o Marais. No inverno, a prefeitura instala um ring de patinação na praça; às vezes, no verão, coloca uma praia artificial, com areia e quadras de vôlei, ou um gramado com área de esportes infatis.